Não é o QUE se fala, mas sim COMO se fala:

Feedback negativo

 

   Todos nós sabemos o quanto é constrangedor ou difícil, receber um feedback negativo de seu gestor no trabalho. Seja ele em qualquer momento: após uma avaliação de desempenho, uma reunião, ou qualquer outra situação no ambiente de trabalho.

   Muitas pessoas não sabem (talvez na maior parte, aquelas que não atuam nestas áreas mais administrativas) o quanto é valioso, tanto para o empregado quanto para o empregador, receber feedbacks positivos, negativos…se possível periodicamente. É com base nesses feedbacks que o ambiente de trabalho se torna muito mais harmonizado e mesmo quando é o caso do feedback negativo, acredite!!!!!!

   Nós, seres humanos, em geral, temos muita dificuldade em receber críticas, às vezes acabamos levando o que foi dito ou ocorrido para o lado pessoal, e é aí que erramos. No ambiente de trabalho, a comunicação deve ser um fator essencial e saber falar, ouvir e agir da maneira certa é muito importante!

   Como dica, oriento que devemos nos desenvolver para aceitar melhor as críticas, assim como saber criticar quando for o caso. Sempre considerando aqueles aspectos fundamentais da comunicação:

   Para quem da o feedback = considerar o local, o momento, conversar de preferencia a sós com a pessoa, se desligar um pouco do que está acontecendo lá fora;

   E para quem recebe o feedback = principalmente NÃO LEVAR NADA PARA O LADO PESSOAL!

   Quando você começa a receber o feedback negativo, a primeira coisa que se passa na cabeça é: Ele/Ela está de implicância ou não “vai com a minha cara”. Este modelo mental de pensar que a outra pessoa está implicando deve ser eliminado!

   Vamos analisar, se o gestor o chama para dar um feedback negativo é porque ele está acreditando em você e quer o seu bem, porque está preocupado com o seu desenvolvimento, não? Caso contrário, certamente ele não lhe manteria em seu quadro de funcionários.

   E já com relação a quem fornece o feedback negativo, segue algumas dicas importantes: deve-se usar as palavras corretas, não falar muitas coisas de uma vez só (focar naquele evento ou episódio específico), ir direto ao assunto, não demorar muito de preferência dar o feedback na hora ou dentro de 24hs. Isto demonstra preocupação com o desenvolvimento do profissional.

   Conforme vimos no artigo então, a questão não é o QUE se fala, mas sim COMO se fala. Sendo assim, mantendo este pensamento, considerando estes aspectos antes de chamar para o feedback, ficará bom para ambos os lados e certamente o receptor aceitará melhor, analisando pontos que podem ser desenvolvidos ou melhorados!

Espero que tenham gostado!

Abraço e até a próxima ♥

 

 

Fonte foto: http://tbsstaffdevelopment.blogspot.com.br/2016/11/feedback.html

Deixe uma resposta